Professoras do Imes publicam artigo científico em revista de saúde

As professoras do curso de Nutrição do Imes Catanduva Dra. Maria Luiza Silva Fazio e Fernanda Colosio Calil publicaram artigo na revista científica “Higiene Alimentar”, edição de maio/junho de 2017 (v. 31, n. 268/269). Com o título “Ação de diferentes extratos de algumas variedades do gênero Capsicum sobre o desenvolvimento bacteriano”, o trabalho procurou avaliar a ação antibacteriana de extratos de algumas variedades de pimentas de forma individual e combinada sobre Samonella Tiphymurium, Samonella Enteritidis, Staphylococcus aureus, Bacillus cereus e Bacillus subtilis. “A ação inibitória mais significativa foi observada pela ação do extrato de Trinidad Scorpion sobre S. aureus (halo de 15 mm) e pela combinação dos extratos de pimenta Baiana e Cumari do Pará sobre B. subtilis (halo de 15 mm). A bactéria Staphylococcus aureus foi inibida significativamente pelo maior número de extratos (6). Nenhuma variedade de pimenta ou combinação das mesmas exerceu ação significativa sobre S. Enteritidis”, explicou a professora e orientadora da pesquisa Maria Luiza.
O artigo é baseado no Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Viniccius Silva de Almeida, ex-aluno do curso de Nutrição, e foi publicado com colaboração de Cassio Favorato Casemiro, ex-aluno do curso de Nutrição, e Mairto Roberis Geromel, técnico de laboratório, além da orientadora Maria Luiza e da professora Fernanda.

tccc--

Anúncios

Alunos de Nutrição visitam empresa Matilat

 

Os alunos do 3º ano do curso de Nutrição do Imes Catanduva realizaram, na manhã de hoje, sexta-feira, uma visita técnica na empresa Matilat, acompanhados da Profa. Dra. Maria Luiza Silva Fazio. O objetivo foi conhecer o processo de fabricação de derivados, como complemento para a disciplina Tecnologia dos Alimentos.
“A visita foi importante para que os alunos conhecessem o processamento do leite e seus vários derivados. Todos gostaram muito e ficaram maravilhados com o trabalho lá realizado”, comentou a professora Maria Luiza.
Duas funcionárias da Matilat, Paloma (Controle de Qualidade) e Chaiene (Segurança do Trabalho), acompanharam os visitantes.

Professora do Imes publica novo artigo na área de Nutrição

 

A Profa. Dra. Maria Luiza Silva Fazio, do curso de Nutrição do Imes Catanduva, publicou novo artigo na revista científica “Higiene Alimentar” (edição de março/abril 2017, v. 31, n. 266/267 – foto abaixo), desta vez com o título “Atividade antibacteriana de extratos aquosos de açafrão, cominho, estragão, endro e tomilho”, também de autoria de Thaís Possetti Sangaleti, ex-aluna do curso de Nutrição, e Mairto Roberis Geromel, técnico de laboratório do Imes. “A pesquisa objetivou verificar a ação antimicrobiana dos extratos aquosos de açafrão (Curcuma longa), cominho (Cuminum cyminum), estragão (Artemisia dracunculus), endro (Anethum graveolens) e tomilho (Thymus vulgaris) de forma individual e combinada sobre Samonella Tiphymurium, Samonella Enteritidis, Staphylococcus aureus, Bacillus cereus e Bacillus subtilis. Por meio dos resultados obtidos, foi possível observar os fenômenos de sinergismo e antagonismo entre os extratos, destacando-se a combinação sinérgica entre cominho e tomilho, capaz de inibir três das cinco bactérias empregadas (Samonella Tiphymurium, Samonella Enteritidis e Bacillus subtilis). Salmonella Enteritidis apresentou maior sensibilidade entre os microrganismos testados (inibida por 7 dos 15 extratos testados) e o maior halo de inibição registrado resultou da ação do extrato combinado de endro e tomilho sobre Salmonella Typhimurium (halo de 19 mm)”, explicou a professora Maria Luiza, orientadora do trabalho.

png-malu-OKKKK

Docente de Nutrição ministra palestra em Pós na Unesp

A professora Dra. Maria Luiza Silva Fazio, docente no curso de Nutrição do Imes Catanduva, ministrou, no último dia 21, palestra como professora convidada para o curso de Pós-Graduação em Engenharia e Ciência de Alimentos na disciplina Microbiologia de Alimentos. A aula apresentou como tema “Metabolismo de Bactérias, Fungos e Leveduras”, abordando as etapas essenciais do metabolismo e crescimento microbiano.

17498860_1455452274527243_8529706239354131582_n

Professora e ex-aluno do Imes publicam artigo na área de Nutrição

 

A Profa. Dra. Maria Luiza Silva Fazio, do curso de Nutrição do Imes Catanduva, publicou novo artigo na revista científica “Higiene Alimentar” (edição de janeiro/fevereiro de 2017, v. 31, n. 264/265), com o título “Determinação do potencial antibacteriano das especiarias Hibiscus sabdariffa, Carum carvi, Sesamum indicum, Foeniculum vulgare e Trigonella foenum-graecum”, desenvolvido por Viniccius Silva de Almeida, ex-aluno do curso de Nutrição, Isabella Biassi Geromel e Felipe Pinheiro do Prado Felinto, alunos do curso de Medicina da Universidade São Francisco, Mairto Roberis Geromel, técnico de laboratório do Imes, e Maria Luiza Silva Fazio, orientadora.
“O trabalho apresentou como objetivo verificar a possível ação das especiarias hibiscus (Hibiscus sabdariffa), kummel (alcaravia)(Carum carvi), gergelim preto (Sesamum indicum), funcho (Foeniculum vulgare) e feno grego (Trigonella foenum-graecum) sobre algumas bactérias (Bacillus cereus, Bacillus subtilis, Salmonella Typhimurium, Samonella Enteritidis e Staphylococcus aureus). A bactéria inibida significativamente pelo maior número de extratos (6) foi S. Enteritidis, destacando-se a ação do extrato combinado de hibiscus e gergelim preto (halo de 21mm), hibiscus individual (halo de 18mm) e do extrato combinado de hibiscus e feno grego (halo de 14mm). Apresentou destaque a ação dos extratos aquosos de hibiscus individualmente e combinado sobre S. Enteritidis e S. Typhimurium”, explicou a professora Maria Luiza.

Professora e ex-aluna de Nutrição publicam artigo em revista

 

A Profa. Dra. Maria Luiza Silva Fazio, do curso de Nutrição do Imes Catanduva, publicou recentemente artigo na revista científica “Hígia Ciência” (2017, v. 3, n. 1), com o título “Qualidade Microbiológica de Alcatra, Coxão Mole, Filé Mignon, Lagarto e Patinho In Natura Comercializados na Região de Itápolis-SP”. A pesquisa teve como autores Doralice Ap. da Costa, ex-aluna do curso de Nutrição, Mairto Roberis Geromel, técnico de laboratório, e Maria Luiza Silva Fazio, orientadora.
“Vários pratos elaborados com carne crua são considerados risco para a saúde  do   consumidor,   como   carpaccio,   quibe   cru,   beef   tartare   ou   hackepeter. Todas as amostras estavam em desacordo com o padrão federal vigente, podendo ser classificadas como “produtos em condições sanitárias insatisfatórias” e, por conseguinte, “produtos impróprios para o consumo humano”. Evidenciou-se a necessidade de os manipuladores serem submetidos a treinamentos periódicos que abordem as Boas Práticas de Fabricação, possibilitando a obtenção de alimentos seguros, ou seja, que não coloquem em risco a saúde do consumidor”, comentou a professora Maria Luiza.

Professora de nutrição publica artigo sobre vitamina D em revista científica

 

A Profa. Sandra Cury Pinfildi Manfrin, do curso de Nutrição do Imes Catanduva, publicou, no último mês, artigo na revista científica “Hígia Ciência” – edição ago/out de 2016 (v.2, n.4,), com a pesquisa “Análise da prevalência da deficiência de vitamina D em algumas cidades do interior do Estado de São Paulo”. Os autores foram Daniele Donato Turra (graduanda do curso de Nutrição do Imes) e Sandra Cury Pinfildi Manfrin (orientadora do trabalho).
“A pesquisa buscou investigar os níveis séricos e prevalência de deficiência de vitamina D, bem como verificar o percentual de pessoas que realizaram o exame pela primeira vez em algumas cidades do interior do estado de São Paulo. Analisando os resultados obtidos, concluiu-se que houve um alto percentual de insuficiência e deficiência de vitamina D entre os valores obtidos, podendo ser considerado um resultado preocupante, dada a relevância desta vitamina para a saúde e prevenção de doenças. Verificou-se também que o status inadequado da vitamina D independe da idade ou sexo. Por último, notou-se que os profissionais da área da saúde não investigam com frequência o status da vitamina D nos exames de rotina dos pacientes e este fator faz-se necessário, pois desta forma poderemos prevenir sua deficiência e possíveis complicações”, explicou a professora Sandra.

fullsizerender